O Conselho Federal de Medicina Veterinária divulgou ontem, 25, uma nota de repúdio às Universidades que lecionam matérias à distância no curso de Medicina Veterinária e se posiciona contra este tipo de ensino para veterinários e zootecnistas. O Federal explicou que esta atitude se dá pois essa profissão exige competências e habilidades voltadas à saúde que devem ser feitas através do ensino teórico-prático de maneira criteriosa e acredita que o ensino à distância não obedece a esse critério.

Participação social

O estudante ou profissional da área de saúde que, assim como o CFMV, está preocupado com a qualidade do ensino superior, pode participar ativamente da Ideia Legislativa “Fim dos cursos a distância para a área da saúde”.

O projeto está disponível no portal E-Cidadania, do Senado Federal, até dia 31 de outubro, e, ao receber 20 mil apoios, se tornará uma sugestão legislativa e será debatida pelos Senadores.

Além disso, todo curso de graduação de Medicina Veterinária deve seguir as Diretrizes Curriculares Nacionais definidas pela Resolução CNE/CES nº 1, de 18 de fevereiro de 2003 e obrigatoriamente deve ser coordenado por um médico-veterinário.

Sua contribuição é de extrema importância nessa causa.

O CFMV alerta a sociedade sobre o interesse mercantilista das instituições privadas de ensino na proliferação desses cursos a distância e destaca que, ao oferecer cursos economicamente atrativos, as faculdades não necessariamente estão comprometidas com a qualidade do ensino, o que prejudica diretamente os serviços prestados à população.

 

 

 

 

 

 

 

 

Assessoria de Comunicação 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *